Cultivo de maracujá, parte 2

Construção de um viveiro

 

Imagem 1: Infobios

Deve ser instalado em local de fácil acesso, em terreno de boa drenagem, plano ou levemente ondulado, distante de outros plantios de maracujazeiro ou estradas e próximos a fontes de água de boa qualidade. Os viveiros podem ser feitos a céu aberto, com cobertura alta (aproximadamente 2 m) ou com cobertura baixa (aproximadamente 80 cm do solo), que é ainda mais econômica e protege apenas os canteiros. Qualquer que seja a cobertura utilizada, deverá permitir que as mudas recebam 50% de radiação solar. Esta cobertura deve ser eliminada à medida que as mudas se aproximam da época de plantio, o que indica que coberturas fixas não são apropriadas.

Semeadura

Os sacos são colocados em fileiras de 1,20 m de largura, e comprimento máximo de 20 m, com uma cobertura de palha a 2,0 m de altura. A disposição dos sacos deve ser feita na orientação norte-sul para facilitar a ventilação e propiciar uma luminosidade uniforme. O espaço entre as fileiras é de 0,50 m para facilitar a movimentação do operário na manutenção do viveiro. Em cada saco plástico colocam-se de 3 a 6 sementes, a 1 cm de profundidade, cobrindo-se com uma leve camada de terra. Para formação de 1000 mudas são necessários 130g de sementes.

Imagem 2: Receitinhas e Afins

Desbaste no viveiro, controle fitossanitário, irrigação, seleção de mudas, adubação e plantio em campo são algumas práticas realizadas na produção de mudas de maracujazeiro.

Plantio

O plantio das mudas no campo deve ser efetuado quando as mesmas estiverem com 15 a 25 cm ou até 30cm de altura, o que pode ocorrer de 45 a 70 dias após a semeadura. Nessa ocasião tem início a emissão das gavinhas. Sob condições de irrigação os plantios de maracujazeiro podem ser feitos em qualquer época. Sem irrigação, as mudas devem ser levadas para campo no início das chuvas e plantadas em dias nublados ou chuvosos.

Imagem 3: Banzaê

O espaçamento mais recomendado é de 2,5 m entre fileiras e 5m entre plantas . Tratando-se de cultura mecanizada, o espaçamento pode ser de 3,5m entre fileiras de plantas.

A cultura do maracujá pode ser consorciada com milho, feijão e leguminosas para adubação verde. Não deve ser consorciado com cucurbitáceas, pois essas plantas são hospedeiras dos pulgões, que transmitem o vírus do endurecimento dos frutos.

A melhor prática para controle de plantas daninhas tem sido a eliminação nas linhas de plantio por meio de capinas manuais e, nas entrelinhas com o uso de roçadeira. Nas faixas paralelas às linhas de plantio, durante a colheita, o controle deve ser bem feito, uma vez que os frutos são colhidos no chão. A capina por meio de implementos mecânicos, feita próxima à planta (menos de 1 m de distância), não é recomendável em função dos danos causados às raízes, uma vez que estas se concentram na sua maioria na faixa de 15 a 45cm de distância do caule. Não existem herbicidas registrados para a cultura até o momento.

Condução

Os sistemas mais utilizados são: latada ou caramanchão, espaldeira vertical, em T e em cruz. A espaldeira vertical ou cerca pode ser feita com mourões e estacas com 2,5 m de comprimento, espaçados de 4 a 6m com 1, 2 ou 3 fios de arame liso número 12, sendo que o superior deve ficar a 2,0m do solo e os demais espaçados entre si de 40 cm. Para que os postes fiquem firmes e possam suportar todo o peso da massa vegetativa, devem ser enterrados 50cm.

Poda

Cerca de 15 dias após o plantio inicia-se a operação de poda de formação, eliminando-se todos os brotos laterais, deixando-se apenas o ramo mais vigoroso, que será conduzido por um tutor até o fio de arame. Quando a planta ultrapassar o arame (cerca de 10 cm) deve-se eliminar o broto terminal para forçar a emissão de brotos laterais que serão conduzidos para os dois lados do arame. Posteriormente estes brotos deverão ser despontados a fim de forçar o desenvolvimento das gemas laterais que formarão os ramos produtivos. As ramificações que surgem dos dois ramos laterais em direção ao solo devem ficar livres para facilitar o arejamento e a penetração de luz, fatores muito importantes no processo produtivo e na diminuição do ataque de pragas e doenças.

-Poda de renovação

Devido aos diversos fatores que afetam a fisiologia da planta do maracujazeiro a exemplo do movimento de foto assimilados e das relações fonte-dreno não estarem devidamente estudadas, os resultados de trabalhos abordando a poda de renovação são contraditórios.

Por outro lado, devido ao crescimento contínuo e indeterminado do maracujazeiro a poda de renovação é uma prática necessária. Assim, para que a poda de renovação obtenha sucesso, é necessário que:

a) a planta esteja em início de atividade vegetativa;
b) a planta esteja no início da brotação:
c) o plantio tenha sido bem conduzido na estação anterior, com boas adubações e apresentar boa sanidade;
d) a temperatura média esteja a 20°C – 250°C, o que possibilita a translocação das auxinas que promoverão as novas brotações;
e) o solo tenha água disponível para promover o crescimento.

Polinização

A polinização é um dos aspectos importantes a ser observado para se produzir maracujá contribuindo para se obter boa produtividade, frutos maiores e mais pesados. A polinização só ocorre em flores com estigmas parcial ou totalmente curvos.

Imagem 4: Bioecoliveira

Os agentes polinizadores que têm se mostrado mais eficientes são as mamangavas, abelhas do gênero Xylocopa que, devido ao seu grande porte, ao visitarem a flor do maracujazeiro, encostam seu dorso nos estames onde estão os grãos de pólen, fazendo a retirada dos mesmos e levando-os para o estigma, efetuando desta maneira a polinização. O maracujazeiro apresenta alto insucesso na polinização pelo vento, devido ao grande peso e a viscosidade do grão de pólen.

-Polinização artificial

A polinização feita pelo homem é mais eficiente do que aquela realizada pelo inseto, constatando-se um pegamento de frutos de mais de 50%, quando com insetos consegue-se algo em torno de 30%. Assim, o agricultor deve, em conhecendo as suas condições, optar ou não pela ajuda do homem nessa tarefa.

A polinização artificial deve ser realizada no período da tarde, haja visto que as flores do maracujá amarelo abrem-se num período que vai das 12:30 às 15:00 horas, permanecendo abertas até às 18:00 horas. Duas a três pessoas podem efetuar a polinização de flores em um hectare por tarde ou cerca de 50 a 60 flores por minuto.

Ácaros, insetos e nematoides

-Principais pragas

Lagartas (Dione juno juno e Agraulis vanillae vanillae);

Percevejos (Diactor bilineatus, Holymenia clavigera e H. histrio);

Besouros (Philonis passiflorae, P. obesus e Ciclocephala melanocephala);

Moscas (Anastrepha spp., Ceratitis capitata, Protearomyia sp. e Silba pendula).

-Controle de lagartas

Em áreas pequenas, recomenda-se a catação e eliminação de ovos e lagartas. Entretanto, em áreas extensas, tal medida pode tornar-se dispendiosa e ineficaz, havendo necessidade da utilização de inseticidas ou inimigos naturais.

-Controle de percevejos

Em algumas situações, embora os percevejos estejam presentes, podem não causar prejuízos, em virtude da presença de inimigos naturais que os mantêm em baixa população. Em pequenas áreas, recomenda-se a catação das posturas, ninfas e adultos. Os produtos recomendados para o controle dos percevejos basicamente são os mesmos para lagartas.

-Controle de moscas

A catação e enterro de frutos atacados auxiliam na redução populacional das moscas-das-frutas. Mais interessante, contudo, seria a colocação desses frutos em valas cobertas com tela fina, para possibilitar a saída dos inimigos naturais que completaram o seu desenvolvimento. Recomenda-se também, se possível, a instalação do pomar em local afastado de plantas hospedeiras. Quanto ao controle químico, utiliza-se isca tóxica, aplicada de 15 em 15 dias, apenas de um lado das plantas e de maneira descontínua. A isca é composta por 5 kg de melaço ou açúcar mascavo ou 500 ml de proteína hidrolisada e inseticida em 100 l de água.

Para o controle da mosca-do-botão-floral, têm-se utilizado iscas tóxicas à base de fenthion, melaço e água em 20% da lavoura, no início dos picos de florescimento, normalmente em três aplicações espaçadas de 8 a 10 dias, além do enterro de botões florais atacados e da utilização de plantas armadilhas, como a pimenta doce.

A abelha melífera é uma praga para o maracujá?

As abelhas domésticas (Apis mellifera), em algumas regiões, causam prejuízos significativos à produção, merecendo maior atenção do que todas as pragas já mencionadas. A abelha melífera carrega o pólen das flores antes da chegada das mamangavas (Xylocopa spp.), prejudicando a polinização. No entanto, como é uma espécie benéfica, não se justifica a destruição dos ninhos. Preferencialmente, o pomar de maracujazeiros e a atividade apícola devem estar a uma distância segura um do outro.

Principais ácaros que atacam o maracujazeiro

  • Ácaro plano – Brevipalpus phoenicis;
  • Ácaro branco – Polyphagotarsonemus latus;
  • Ácaros Vermelhos – Tetranychus mexicanus e T. desertorum.

-Como controla-los

A redução da população desses ácaros pode ser realizada com controle biológico natural pela presença de inimigos naturais, destacando-se ácaros predadores conhecidos como fitoseídeos. Para a cultura do maracujá atualmente não existem produtos químicos registrados pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) para o controle de ácaros. Algumas referências existentes na literatura quanto ao uso de acaricidas em maracujazeiro são baseadas em resultados experimentais.

Nematoides

Diversos nematóides têm sido encontrados atacando o sistema radicular do maracujazeiro, reduzindo o crescimento das plantas e afetando a produção. Entre estes, podemos citar os formadores das galhas (Meloidogyne spp.), o nematóide reniforme (Rotylenchulus reniformis), o nematóide da lesão radicular (Pratylenchus sp.) e os nematóides espiralados (Scutellonema sp. e Helicotylenchus sp.). Entretanto, somente R. reniformis, M. incognita, M. arenaria e M. javanica são consideradas as espécies de maior importância econômica.

-Como controlá-los

Em condições de viveiro o tratamento do solo (fumigação) é prática essencial para produção de mudas sadias. A água de irrigação utilizada deve ser de boa procedência, preferencialmente de poços artesianos e não de água represada em baixadas que são altamente infestadas por nematoides. Em culturas estabelecidas, torna-se mais difícil o controle, mesmo porque há poucas informações sobre a eficiência e economicidade de nematicidas aplicados em maracujazeiro.

Doenças

- Tombamento (damping-aff) ou mela:
Doença causada por fungos; caracteriza-se por lesão no colo da plantinha provocando seu tombamento e morte. Excesso de água e sombreamento na sementeira favorecem a doença.
Controle: manejo adequado da sementeira e uso de calda da mistura dos fungicidas PCNB+benomil+fosetyl-Al.

- Antracnose:
Doença por fungo que ataca folhas causando manchas pequenas que juntam-se e tornam-se pardo-avermelhadas ; os ramos podem mostrar manchas alongadas que evoluem a cancros e morte dos ponteiros.
Controle: aplicação em pulverização, de caldas contendo exicloreto de cobre + mancozeb ou benomyl.

- Verrugose ou Cladosporiose:
Doença por fungo com maior incidência em temperaturas amenas (15 – 22ºC) ataca frutos, brotações, ramos, gavinhas, pecíolo de folha geralmente em tecidos novos. Manchas circulares de 5mm que se cobrem com tecido corticoso, áspero, de cor parda que podem deformar o fruto e enrugar a folha.
Controle: doença não atinge a polpa do fruto; indica-se pulverizações com caldas fungicidas a base de cobre em aplicações semanais sob chuvas e quinzenais em épocas de chuvas esparsas.

- Podridão do colo:
Doença no solo causada por fungo, que afeta o colo da planta e lesionando a parte interna do caule, pode penetrar para cima e em direção das raízes. Folhas tornam-se murchas, amareladas e há morte da planta.
Controle: não plantar em solos compactados, sem aeração, e em solos contaminados pelo fungo. Evitar ferimento do caule nas capinas. Retirar lesões iniciais, raspar a área afetada e aplicar pasta bordalesa. No plantio mergulhar as raízes até 20cm acima do colo em solução contendo o produto metalaxil (200g./100l. água).Ainda podem acontecer as doença; bacteriose, definhamento precoce, murcha (fusariose).

Colheita

O período até o início da colheita do maracujá varia de 6 a 9 meses após o plantio definitivo no primeiro ano, a depender da região e suas condições climáticas. Plantios efetuados nos meses mais próximos do verão, permitem início de colheita mais precoce (6 meses) enquanto que, nos meses mais frios a colheita é mais tardia. O maracujazeiro tem longo período de safra, variável de oito meses no Sudeste (dez meses no Nordeste) até doze meses no Norte.

É característica dos frutos de maracujá amarelo caírem ao chão quando maduros, deste modo o ponto de colheita é determinado pela coleta dos frutos no chão. Antes da colheita recomenda-se efetuar uma passagem entre as filas e derrubar os frutos maduros que não caíram ou que estejam presos entre os ramos das plantas.

O rendimento da cultura depende de fatores como o clima, solo, espaçamento, tratos culturais, adubação e controle fitossanitário. Pode-se estimar em termos médios, num plantio bem conduzido um rendimento de até 45 t de fruta/ha/ano. A média nacional está estimada em torno de 10t/ha/ano devido a baixa tecnologia empregada pela maioria dos produtores.

Fontes: Seagri-Bahia, Embrapa

13 Comentários (+adicionar seu?)

  1. marco
    out 14, 2011 @ 21:33:05

    Ola ,
    Tenho uma pe de maracuja plantado num vaso grande , só que esta numa sala de apartamento
    Moro num apto que recebe sol o dia todo , tenho uns vasos perto da janela e ha uns 4 anos joguei umas
    sementes de maracuja num vaso, e ela pegou , subiu a parede , e de tao grande q ficou eu estiquei umas linhas
    e a planta cresceu muito , esta enorme linda e vistosa , 4 anos crescendo no apartamento. Só que nunca deu uma flor se quer,
    POR QUE ?
    Gostaria mutio se possivel que me orientaçe para ver se tem algum produto que eu possa utilizar para que meu pe de maracuja
    um dia floreça.
    Por favor me responda , e se caso nao tenha a informaçao, favor me indique onde encontrar essa resposta
    Muito obrigado
    Marco

    Resposta

  2. Luiz Ocivaldo Rodrigues Cordeiro
    out 19, 2011 @ 19:32:22

    obrigado por existir pessoas do tipo de vcs, orientando as pessoas que cultivão maracujá, sou um pequeno produtor de maracuja, mas as vezes, me perco com adubação correta, queria se fose posível vcs me orientaren qual a forma correta de adubar o maracujá desde de quando se planta a munda nas covas até sua fase final de produção e quais os tipos de adubo a ser usado e as respequetivas quantidade por cova

    Resposta

  3. Lady Dell
    nov 13, 2011 @ 13:18:28

    bom dia!!
    temos um pé de maracuja em casa,ja deu varias vezes mas nao consiguimos
    comer nehum,por causa que os besouros estragam os frutos.
    gostaria de saber se tem algum remedio natural pra poder combate-los
    muito obrigada
    lady dell

    Resposta

    • inforagro
      nov 13, 2011 @ 22:41:54

      Boa noite Lady Dell,
      logo após serem polinizadas, as flores se transformarão em pequenos frutos, envolva-os com saquinhos de papel, isso evitará o ataque de besouros e lagartas.

      Resposta

  4. Lady Dell
    nov 14, 2011 @ 00:59:21

    agradeço sua atençao!!
    um abraço
    lady dell

    Resposta

  5. Adriana R.
    fev 03, 2012 @ 20:50:50

    Boa tarde, até agora essa é a matéria mais completa que já li sobre o cultivo de maracujá. Parabéns!
    Por favor, se for possível, gostaria de informações sobre como cultivar o maracujá doce numa cobertura. Quero fazer um caramanchão de madeira e plantar uma muda nativa da região de Brumadinho, MG. Essa muda é de maracujá doce do mato. A área da cobertura pega sol o dia todo. Quero plantá-lo numa bombona plástica de 100 ou 200 litros, cortada horizontalmente. Muito obrigada!

    Resposta

    • inforagro
      fev 08, 2012 @ 12:16:21

      Bom dia Adriana,

      fico feliz em ter ajudado!
      Eu não sei muito sobre essa espécie de maracujá, eu conheço uma outraespécie, também do mato, mas ele não é doce, possui coloração verde e é identificado como maduro quando está com a casca macia.
      Sinto não poder ajudar muito, boa sorte!

      Resposta

  6. selma
    mar 28, 2012 @ 00:10:36

    Selma
    olá,nasceu na minha horta um pé de maracujá,começou á subir no muro,deu bastante flor,cada maracujá grande e agora já começou á madurar.
    eu não sei dizer á quanto tempo ele nasceu,só sei que já estou colhendo os frutos dele,sem insetcida,sem adubação e rasteiro.

    Resposta

  7. marcelo
    abr 17, 2012 @ 21:00:23

    boa noite
    eu estou começando uma pequena plantaçao de maracuja, porem preciso de algums modelos de irrigaçao por gotejamento em uma area de 1 hectare, por favor me envie se tiver alguma meu email é marceloteixeirajp@hotmail.com desde ja agradeço

    Resposta

  8. Danita Sonia Ramoska Jasiskis
    abr 28, 2012 @ 20:10:24

    Tenho um pé de maracuja que encheu de flores, mas após a polinização as flores caem. O que fazer??? Ja adubei…..

    Resposta

  9. Francielle
    nov 26, 2012 @ 13:39:10

    Tenho um espaço de 7 metros por 3 gostaria de mostar um estaleiro pensei em 4 postesdois de cada lado e 2 postes como base e várias tiras de madeira oposto das 2 bases será que é necessário ou precisa mais e quantas mudas posso plantar? Obrigada desde já

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Postagens do Blog

abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   set »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Mais Avaliados

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 141 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: